Cat-1

Cat-2

Cat-3

Cat-4

Christina Ricci e Samuel L. Jackson

Um filme sobre o blues. Ainda que não nos deparássemos, logo nos primeiros segundos, com o lendário Son House falando sobre o blues, qualquer amante do gênero identificaria seus principais elementos em toda a trama: desilusão, sofrimento, angústia, desespero, sexo, violência, whiskey e alívio na música. Neste filme, lançado em 2007, nos deparamos primeiro com o velho bluesman "aposentado" e agricultor Lazarus Redd (Samuel L. Jackson) que, ilustrando a fala do Son House, enfrenta o fim de seu casamento da pior forma possível: com sua ex-esposa deixando-o por seu próprio irmão. Do outro lado temos Rae Doole (Christina Ricci), uma garota que se tornou ninfomaníaca por ter sido abusada pelo pai por toda a infância. Seu noivo Ronnie Morgan (Justin Timberlake) a deixa sozinha ao se alistar na Guarda Nacional e partir em missão. 

Sozinha, Rae se afunda no mundo de drogas e sexo, até ser agredida pelo melhor amigo do seu noivo e ser largada desacordada seminua numa estrada, até ser encontrada por Lazarus, que a leva para casa e, decidindo pelo lado cristão (a velha máxima tão comum nos bluesmen, sobretudo da geração do início do século passado no Mississippi, de estar entre a "música do diabo" e tudo o que a cerca e a vida de acordo com os princípios evangélicos, dá as caras desde o início por aqui. Inclusive, o título do filme em português BR é "Entre o céu e o inferno", o que surpreendentemente não foge do tema), resolve cuidar da moça e libertá-la da sua vida promíscua e perigosa. É um momento de reerguida para ambos, e a história poderia muito bem estar numa letra de blues.

O blues está presente, na trilha sonora, do início ao fim, o que faz a alegria de pessoas como nós. Vemos uma sociedade sulista e rural, porém miscigenada, onde há o racismo nas falas de alguns, especialmente em momentos de fúria, mas também passa a mensagem de que para se sentir o blues, não é preciso ser um ex-escravo ou ter pele negra, e sim ter dramas pessoais e sensibilidade. A ideia é a de que tais dramas escravizam o ser humano, e isso é mostrado metaforicamente pelas correntes usadas por Lazarus para impedir que Rae fuja sem ser "curada". O próprio bluesman chama a atenção para a "liberdade" que será conquistada quando conseguir seu objetivo e, então, libertá-la das correntes. 

Pesquisando um pouco percebi que as críticas e a recepção do público foram moderadas ou negativas, o que é compreensível, já que poucos sabem reconhecer o verdadeiro blues, e quando aparece em forma lírica isso só poderia piorar. Além disso, até mesmo a Christina criticou bastante a equipe de marketing do filme, alegando que sua imagem foi distorcida, sugerindo mais violência contra as mulheres. Observando as capas pelo Google, devo concordar: as imagens de capa e flyers sugerem uma relação masoquista entre os dois personagens principais, com o Samuel assumindo a postura do agressor, o que se mostra oposta à realidade do filme, em que seu personagem é justamente o único que não a enxerga como um objeto e a trata como um ser humano. Por sinal, a imagem ilustrativa desta matéria foi escolhida em detrimento das imagens promocionais por esse motivo.

Trailer oficial

Falando em trilha sonora, temos aqui uma das melhores, incluindo versões cantadas pelo próprio Samuel, de músicas de Blind Lemon Jefferson (Black Snake Moan, que deu título ao filme) e R. L. Burnside, homenageado nos créditos. Muitos temas com slide, lembrando até mesmo a ótima trilha de A Encruzilhada, por Ry Cooder. As falas de Son House também estão presentes, o que dá clima a qualquer trilha relacionada ao tema. Este não foi um filme que causou tanto rebuliço, como Cadillac Records (2008) ou A Encruzilhada (1986), devido ao baixo orçamento e os problemas já citados, mas deve ter seu lugar garantido na videoteca dos amantes do blues. Destaque também para as belas guitarras da Gibson, que aparece nos créditos como apoiadora do filme, o que faz voltar à tona a triste realidade dos valores extremamente exagerados que os brasileiros pagam em bons instrumentos, enquanto pessoas comuns têm acesso a equipamento de ponta em países como os EUA, sem a necessidade de vender a alma para comprá-los.

Ficha técnica
Título: Black Smoke Moan
Título brasileiro: Entre o céu e o inferno
Lançamento: 2007
Direção: Craig Brewer
Distribuição: Paramount Vantage








...
«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Publicado por I. Malforea

BLUEZinada! é uma zine produzida pela Distintivo Blue e distribuída gratuitamente, desde 2011. Saiba mais sobre a banda:

Nenhum comentário

Comente aqui embaixo:

Leia!

Ouça!

Assista!

Cat-5

Cat-6